“Rodovias dos Calçados” vão iniciar obras

Pistas que cortam parte do estado, passando pela região de Franca, terão melhor estrutura

342

 

 

 

O governador do Estado de São Paulo, participa da assinatura do contrato de concessão do lote "Rodovia dos Calçados", em cerimônia realizada no Palácio dos Bandeirantes. Local: São Paulo/SP Data: 23/10/2017 Foto: Gilberto Marques/A2img
O governador do Estado de São Paulo, participa da assinatura do contrato de concessão do lote “Rodovia dos Calçados”, em cerimônia realizada no Palácio dos Bandeirantes. Local: São Paulo/SP Data: 23/10/2017 Foto: Gilberto Marques/A2img

 

 

 

 

 

 

Foi realizada ontem a cerimônia que marcou a assinatura do contrato de concessão do lote Rodovias dos Calçados para a concessionária ViaPaulista. A nova empresa que passa a integrar o programa de Concessões Rodoviárias do Estado de São Paulo foi criada pela Arteris S.A.

O grupo vencedor apresentou no dia 25 de abril, na sede da B3 (antiga BM&F Bovespa), o maior ágio já ofertado para concessão de rodovias no país. Foram 438,17% sobre o valor mínimo de R$ 225,4 milhões – totalizando R$ 1,2 bilhão para a primeira parcela da outorga dessa concessão.

Já no dia 10 de outubro, o Grupo Arteris S.A. depositou, pouco mais de R$ 1,2 bilhão (R$ 1.277.228.935,87) para o Governo do Estado de São Paulo, valor relativo à primeira parcela da outorga para a concessão do Lote Rodovias dos Calçados. A Artesp também recebeu do grupo a documentação necessária para assinatura do contrato de concessão atendendo aos requisitos exigidos pela Agência.

A ViaPaulista irá operar 720 quilômetros de rodovias que atravessam 35 municípios das regiões de Bauru, Franca, Itapeva, Ribeirão Preto, Sorocaba e Central. O projeto viabiliza R$ 5 bilhões em investimentos ao longo da concessão, sendo R$ 3,25 bilhões a serem efetivados já nos primeiros dez anos.

Do total, R$ 1 bilhão é destinado às obras principais de ampliação da malha rodoviária, R$ 2,4 bilhões referentes à restauração e conservação, além de implantação de equipamentos e sistemas, bem como outras melhorias nas pistas.
Após a assinatura e transferência de controle de parte do lote, hoje sob responsabilidade do Departamento de Estradas de Rodagem (DER-SP), que deve ocorrer em até 30 dias, a ViaPaulista terá de dar início a um intenso programa de recuperação das rodovias.

A segunda parte da malha a que se refere o contrato está hoje sob concessão da Autovias (concessionária do grupo Arteris) e será transferida para o controle da ViaPaulista assim que terminar o atual contrato, em setembro do ano que vem.
Obras

No primeiro ano de contrato estão previstos investimentos de mais de R$ 443 milhões no trecho. Desses, R$ 147 milhões integram o Programa Intensivo Inicial (PII), que são obras emergenciais no pavimento, sinalização e área de domínio da rodovia para que o trecho seja adequado aos parâmetros do Programa de Concessões Rodoviárias do Estado de São Paulo.

Nos dois primeiros meses será realizado o serviço de tapa buracos em todo o lote e de remoção de arbustos e árvores da área de domínio que comprometam a segurança viária ou o sistema de drenagem. Somente em obras no pavimento serão investidos R$ 130 milhões no PII.

Essas intervenções, além do tapa buraco, incluem correções de depressões, selagem de trincas, recomposição do pavimento, eliminação de degraus entre a pista e o acostamento, que devem ser concluídas em seis meses.