Promotoria investiga preço de lombofaixas

Promotoria investiga preço de lombofaixas

333

 

 

 

 

 

 

 

O Ministério Público de Franca instaurou inquérito nesta terça-feira para apurar os preços pagos pelas lombofaixas instaladas em diversos pontios da cidade. Informações que circularam no município dão conta de que estariam custando aos cofres públicos R$ 15 mil cada.

A investigação foi aberta pelo promotor Paulo César Correa Borges, que responde pela atenção ao patrimônio público. São citados o prefeito Gilson de Souza, a Emdef (Empresa Municipal para o Desenvolvimento de Franca) e seus diretores.

Sem contar o valor, aparentemente alto pelos dispositivos, o promotor apura se a contratação dos serviços teria sido realizada sem concorrência pública. Os envolvidos estarão sendo citados nos próximos dias para apresentarem suas versões.

As lombofaixas foram instaladas com o propósito de darem mais segurança ao trânsito, mas vêm sendo motivo de polêmica. Uma das críticas é que estariam sendo instaladas sem planejamento adequado.

Uma delas foi colocada em cima de uma tampa da rede de esgotos da Sabesp, em frente à Santa Casa, local que ficou impossibilitado de receber manutenção por parte da empresa de saneamento básico.

A reportagem tentou na noite de ontem um contato com o prefeito Gilson de Souza, mas não obteve êxito. Informações davam conta de que ele viajou para a capital paulista.

Câmara

Quem também esteve à procura de Gilson de Souza ontem foi a Comissão Processante instaurada na Câmara para apurar denúncias envolvendo a invasão de vendedores ambulantes na área central. A prefeitura estaria deixando de fiscalizar a situação, vindo a abrir mão de receita.

Nesta semana os vereadores tentarão outra vez notificar o prefeito. Se forem feitas outras tentativas sem sucesso, Gilson poderá ser informado oficialmente através de pub licação na imprensa oficial do município.