Início das obras do Sesc conta com aval do prefeito

A população de Franca fez abaixo-assinado com intuito que Gílson de Souza dê posicionamento sobre o assunto

266

michel04

 

 

 

 

 

O projeto do Sesc  (Serviço Social do Comércio) em Franca está parado por conta  da espera do aval de Gílson de Souza para autorizar o início da construção do edifício. A população já conta com um abaixo assinado para enviar ao prefeito e dar andamento no processo.

De acordo com a Produtora Cultural, Eliara Alvez, a meta é coletar cinco mil assinaturas para encaminhar ao prefeito e agilizar um posicionamento diante do início das obras. “O intuito é envolver a população neste projeto que é tão importante e falta muito pouco para conseguirmos”, comenta Eliara.

Na semana passada foi realizado na Câmara Municipal de Franca uma audiência com intuito de apresentar e discutir o projeto da vinda do Sesc para Franca. Atualmente, o plano da construção da instituição aguarda o aval da Prefeitura de Franca para início das obras.

Para Eliara tudo depende do posicionamento municipal, já que agentes do Sesc que estavam presentes na audiência e vereadores demonstraram grande interesse. A população também marcou grande presença e encheu a Câmara.

“Na Audiência Pública os agentes do SESC ficaram surpresos pela quantidade de pessoas na Audiência, e consideraram que não se lembravam de uma audiência que teve tanta gente, ou seja, é interesse da população, estamos lutando para isto, esta luta já faz anos e agora dependemos do interesse politico”, conta Eliara.

De acordo com o presidente do Sindicato do Comércio Varejista de Franca, Michel Jorge Saad, o último passo ato burocrático era a realização da audiência pública para apresentação do projeto. A área de planejamento e obras municipais já foi notificada, faltando apenas o posicionamento do prefeito Gílson de Souza.

“Na parte técnica só falta o prefeito concordar com a dilatação do prazo de início das obras do Sesc. No projeto inicial era pra ter começa no início de 2016 e o término previsto é para 2019”, explica Saad.