Calor aumenta os riscos de afogamentos

Secretaria de Saúde alerta sobre perigos da água nesta época em que piscinas e represas estão lotadas

69

 

risco

 

 

 

 

As temperaturas elevadas e a probabilidade de mais um final de semana de muito sol na região, esta causando uma preocupação a mais nas autoridades, o risco de afogamento. Muitas pessoas aproveitam os dias de folga para se refrescar em ranchos e fazendas o que se torna um perigo.

Um levantamento de 2016, realizado pela Secretaria de Estado da Saúde, aponta que duas pessoas morrem por dia no Estado, vítimas de afogamento. Segundo o estudo, metade das ocorrências está relacionada com adultos entre 20 e 49 anos.

Para evitar riscos desnecessários, a Secretaria preparou uma série de cuidados, não só para quem frequenta rios e piscinas, mas também para as pessoas que estão no litoral.

1 – Atenção para as placas de sinalização do Corpo de Bombeiros, nos locais de maior perigo. Entre na água apenas nos lugares mais seguros;

2 – No mar e rios, onde houver correnteza, não ultrapasse a linha da cintura para não ser surpreendido por depressões no solo, ondas e correntes inesperadas;

3 – Se for para o fundo não dispense o uso de boia e jamais a abandone, mesmo em momentos de maior controle;

4 – Em caso de perigo, tente manter a calma e não nade contra a correnteza. Sinalize com os braços para pedir ajuda e procure boiar;

5 – Nos rios, caso perca o controle, nade no mesmo sentido da correnteza, tente ficar mais próximo da laterais e procure se aproximar lentamente das margens;

6 – Atenção com os mergulhos, evite mergulhar de cabeça em depósitos naturais de água, pois o fundo está em constante transformação. O choque com o fundo pode provocar desmaios e traumas de sérias consequências para a coluna cervical;

7 – Não entre na água se estiver alcoolizado. O uso de bebidas alcóolicas tira o senso de perigo e expõe a pessoa a riscos desnecessários;

8 – Mergulhe sempre na companhia de outras pessoas que possam auxiliá-lo quando preciso;

9 – Evite ou redrobe a atenção com os mergulhos noturnos em mares e rios, pois há riscos de ficar preso em redes de pesca e a visibilidade do ambiente fica comprometida;

10 – Muita atenção com as crianças designe uma pessoa específica para tomar conta delas. Essa pessoa deve reduzir o consumo de bebida alcoólica e se concentrar exclusivamente no cuidado às crianças;

11 – Não confie na falsa impressão de segurança que comumente os pais têm com o uso de boias e com a presença de outros banhistas conhecidos em torno da piscina;

12 – Não descuide das crianças, mesmo com a presença de  salva-vidas. Lembre-se que, nessa época, eles têm uma grande quantidade de pessoas para cuidar e que a visão deles pode ser prejudicada pelo ângulo ou pela movimentação das pessoas.

No inicio desta semana, um gerente de uma churrascaria de Franca morreu afogado em uma região conhecida como Cachoeira dos Dourados, próximo a São José da Bela Vista. Segundo testemunhas, Henrique Arnet de 33 anos, estava passando o dia de folga com amigos, quando tentou retirar uma rede de pesca da água e acabou tendo a perna presa e se afogou.