Japão

Hiroshima recorda bombardeio e pede desarmamento nuclear

6433

JAPAN-US-WWII-NUCLEAR

 

 

 
Os japoneses relembraram no último domingo (6) o primeiro bombardeio atômico da história, lançado há 72 anos contra Hiroshima, cidade do sul do arquipélago.
Em 6 de agosto de 1945, às 8h15 locais, um bombardeiro B-29 americano batizado “Enola Gay” lançava nessa cidade a bomba atômica “Little Boy”.
Três dias depois, outra bomba atômica, “Fat Man”, devastou Nagasaki, o que levou à rendição japonesa, em 15 de agosto, e ao final da Segunda Guerra Mundial.
Com uma potência equivalente a cerca de 16 quilotoneladas de TNT, a bomba de Hiroshima causou uma deflagração que subiu a temperatura no solo a 4.000 graus. “Little Boy” provocou, naquele mesmo dia e nas semanas seguintes, 140 mil mortos.
Em Nagasaki, o ataque causou 74 mil vítimas mortais.
Coincidindo com este aniversário, o Japão volta a se deparar com a polêmica questão das armas nucleares.
Há um mês, o Japão se uniu a outras potências nucleares, entre elas Estados Unidos, França e Reino Unido, críticas ao tratado adotado recentemente pela ONU para proibir as armas nucleares.
A cerimônia de domingo, no Memorial da Paz, começou com um minuto de silêncio. O prefeito de Hiroshima, Kazumi Matsui, apresentou a lista de mortos pelos efeitos da radiação no último ano.
O primeiro-ministro Shinzo Abe afirmou que o Japão espera por um mundo sem armas nucleares.