Trump diz que Irã cumpre acordo nuclear

Mas EUA ampliam sanções por causa do programa de mísseis balísticos e pelo apoio a grupos terroristas no Oriente Médio

201

Diplomatas

 

 
Após o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, reconhecer que o Irã “cumpre as condições” de acordo de restrição nuclear, o governo norte-americano anunciou nesta terça (18) novas sanções ao país.
De acordo com o Departamento de Estado dos EUA, as sanções serão implantadas por causa do programa iraniano de mísseis balísticos e pelo “apoio de Teerã a grupos terroristas” no Oriente Médio.
As sanções atingem indivíduos ou entidades que, segundo os EUA, são apoiadores do programa de mísseis de Teerã ou da Guarda Republicana.
Antes, Trump havia se afastado da promessa de campanha de suspender o acordo nuclear com o Irã ao anunciar que manterá o tratado, ao menos por ora. Sob os termos, firmado há dois anos, Teerã reduziu a produção de material nuclear em troca da suspensão de diversas sanções econômicas.
“As condições”, segundo um funcionário da Casa Branca, “foram cumpridas, com base em informação de que dispõem os Estados Unidos”.
O chanceler iraniano, Mohamad Javad Zarif, afirmou nesta segunda-feira que o governo Trump “envia sinais contraditórios” sobre a vontade dos EUA de manter o acordo nuclear.
Em comunicado divulgado nesta terça-feira (18), a Chancelaria iraniana afirmou que vai retaliar a ação americana com sanções a cidadãos americanos “que tomaram medidas contra o Irã e outras nações regionais muçulmanas”. O nome dos americanos atingidos pelas sanções deve ser divulgado em breve, segundo o texto.
O ministério classificou ainda a medida americana como desprezível e sem valor.
Desde que o pacto entrou em vigor, em janeiro de 2016, o Executivo americano deve “certificá-lo” a cada 90 dias no Congresso, ou seja, confirmar que Teerã respeita os termos estabelecidos.