Inundações deixam seis mortos no Japão

Províncias de Fukuoka e Oita tiveram em 24 horas chuvas equivalentes a 45 dias; 20 estão desaparecidos

232

 

Japa

 

 

 

Gigantescas inundações deixaram pelo menos seis mortos e 20 desaparecidos no sudoeste do Japão, onde as autoridades tentam resgatar centenas de milhares de habitantes.
Chuvas de magnitude sem precedentes geraram fortes correntes de águas que arrasaram estradas, casas e escolas.
Milhares de soldados e socorristas foram enviados ao amanhecer desta quinta-feira (6), anunciou o porta-voz do governo, Yoshihide Suga, para resgatar pessoas impedidas pelas cheias e retirá-las, até com helicópteros, da zona ameaçada por deslizamentos de terra. Segundo o governo, 250 pessoas foram resgatadas.
“Nos encontramos em uma situação gravíssima”, declarou o vice-primeiro-ministro, Taro Aso, em uma reunião ministerial de urgência, devido à ausência do chefe de Governo, Shinzo Abe, que está em Bruxelas.
“Ainda podem ocorrer deslizamentos e muitas pessoas continuam desaparecidas”, explicou Aso.
Há 20 desaparecidos – entre eles uma criança que pode ter sido arrastada pela correnteza – nas províncias de Fukuoka e Oita, na ilha meridional de Kyushu, a 900 km de Tóquio, que receberam 540 mm de chuvas em 24 horas, o equivalente a 45 dias na temporada de chuvas. A passagem de um tufão na semana passada já havia inundado a área.
A grande quantidade de chuvas deve continuar a atingir a região durante as próximas horas, indicou a agência japonesa de meteorologia. Mas as autoridades substituíram o nível de alerta especial por outros mais baixos ao longo desta quinta.
“Vinte pessoas estão desaparecidas”, anunciou Yoshihide Suga, acrescentando que cerca de 7.800 policiais, socorristas e soldados foram enviados às zonas.