Pé diabético requer cuidados redobrados

Docente fala sobre curso inédito em Franca voltado à especialização técnica na área de podologia

211

Bruna

Com o intuito de ampliar a oferta de mão de obra qualificada para cuidar do chamado “pé diabético”, termo que engloba doenças e alterações nos diabéticos, Franca está ganhando um curso inédito. Ele é voltado à “Especialização Técnica em Atendimento Podológico ao Portador de Diabetes Mellitus”.

Bruna Letícia Alves, docente da área de saúde e bem-estar do Senac Franca, onde o curso será ministrado, diz que quando não reconhecido e tratado a tempo, o “pé diabético” pode evoluir para complicações graves, provocando desde a formação de úlceras profundas e extensas até a necessidade de amputação do membro.

Técnicos em podologia que tenham interesse em aprimorar a atuação no mercado e aperfeiçoar o currículo já podem se inscrever no novo curso do Senac Franca. A especialização terá início em 12 de junho.

A docente diz que a falta de informações e cuidados específicos agrava drasticamente o quadro clínico. Bruna falou ao Diário sobre esse e outros assuntos.

 

Diário da Franca – Qual a importância desse novo curso na área de podologia?

Bruna Letícia Alves – Essa capacitação especializa o profissional podólogo para atender, com excelência, clientes portadores desse tipo de diabetes. Durante o curso, o aluno conta com um programa diferenciado de atividades práticas, incluindo atendimentos ao público, sob acompanhamento e supervisão do docente.

Diário – O que o aluno aprende além dos cuidados técnicos?

Bruna – O podólogo especializado em pés diabéticos tem conhecimento para orientar os pacientes sobre precauções no dia a dia. A observação e higienização correta auxiliam a prevenção e o diagnóstico precoce das lesões. Descuidos como uso incorreto de meias com costura grossa, que podem fazer pressão nos dedos e causar ferimentos, e sapatos apertados, por exemplo, podem acarretar sérios problemas.

Diário – O que se deve fazer para zelar pelo bem-estar nas ações rotineiras e evitar problemas?

Bruna – Uma dica é examinar os pés diariamente. Para facilitar, use um espelho ou peça a ajuda de alguém. Procure bolhas, feridas, ferimentos, calos, frieiras, cortes, rachaduras e alterações de coloração na pele. Faça o exame sempre em um local bem iluminado, preferencialmente usando luz solar.

Diário – Uma dúvida comum ésobre os cuidados com os pés na hora do banho. O que você aconselha?

Bruna – Mantenha os pés limpos usando sabonete de glicerina e água morna. Nunca use água quente, pois a diminuição da sensibilidade térmica pode fazer com que você se queime. Teste a temperatura com o cotovelo e só depois coloque os seus pés nela. Após o banho, seque bem os pés com uma toalha macia, mas sem esfregar, principalmente entre os dedos e ao redor das unhas. Nunca use secador de cabelos, aquecedores ou cobertores térmicos. Também mantenha a pele hidratada, aplicando creme ou loção hidratante. O uso de talco não é necessário, mas se você tem o costume de fazê-lo, use em pouca quantidade.

Diário – As meias têm muita influência na saúde dos pés?

Bruna – As meias sem costura e elástico são as melhores para pessoas diabéticas, pois evitam machucados. Prefira usar as de lã no inverno e de algodão no verão. Evite as meias de nylon, que dificultam a transpiração e perdem rapidamente a qualidade.

Diário – É verdade que não se pode tirar cutículas e cuidar dos pés?