Temer tenta impor pauta positiva em discurso

Em balanço de final do ano, presidente ignora denúncias de irregularidades e quedas de ministros

700

temer
Em balanço de final de ano, o presidente Michel Temer ignorou nesta quinta-feira (29) as denúncias de irregularidades contra integrantes do governo federal e a queda de seis ministros em pouco mais de sete meses desde que assumiu o Palácio do Planalto.
No pronunciamento, o peemedebista não lembrou, por exemplo, da saída de Geddel Vieira Lima da Secretaria de Governo, após ser acusado de atuar em nome de interesses próprios, ou da delação premiada de um ex-executivo da Odebrecht, a qual teve como desfecho a queda do assessor presidencial José Yunes, amigo pessoal do presidente.
Na tentativa de impor uma pauta positiva, no esforço de superar a atual crise política, o presidente focou seu discurso feito no Palácio do Planalto em realizações na área econômica, como o envio da reforma previdenciária e a aprovação da proposta do teto de gastos públicos.
Ele evitou também falar da minirreforma ministerial que pretende realizar em fevereiro, após a definição do novo presidente da Câmara dos Deputados. Ele avalia, por exemplo, fazer trocas em pastas como Saúde, Trabalho, Planejamento e Meio Ambiente.
“Vamos esperar o ano que vem”, comentou.
No discurso, como tem feito desde que assumiu o governo federal, ele fez questão de agradecer o Congresso Nacional pelas propostas governistas que foram aprovadas e defendeu a liberdade de imprensa no país.
“Eu quero homenagear a imprensa brasileira, principalmente a imprensa livre no país, que tem feito um trabalho extraordinário para revelar a democracia no Brasil e a força das nossas instituições”, disse.
Além de Geddel, deixaram o governo federal desde que Temer assumiu o Palácio do Planalto Marcelo Calero (Cultura), Henrique Alves (Turismo), Fábio Osório (AGU), Romero Jucá (Planejamento) e Fabiano Silveira (Transparência).
No final do pronunciamento, o presidente pediu que as pessoas façam um “pensamento positivo” na noite da virada do ano.
“O ano de 2017 será novo e de muita realização e esperança não só para o governo federal, mas também para os brasileiros “, afirmou.
O presidente viajará nesta quinta-feira (29) para o Rio de Janeiro, onde passará a virada do ano. O peemedebista deve ficar até a próxima segunda-feira (2) em uma base militar em Restinga de Marambaia, acompanhado da família.