Preventivo homeopático na gravidez: As gotas que protegem o futuro do bebê

578

artigo

 

Eliete Fagundes

 

I parte

A gravidez, seja desejada ou não, é um período de grandes transformações e exige cuidados extras. Fora as preocupações normais neste estado, existem, hoje, os riscos da contaminação com o Zika vírus.

Em primeiro lugar, para quem está grávida, saiba que o estresse e o pânico são extremamente prejudiciais ao bebê por causa da exposição hormonal que ele estará sofrendo, podendo comprometer seu sistema imunológico e a formação de neurônios e neurotransmissores no sistema nervoso. A carga de tensão vivenciada pela mãe altera seu organismo e compromete o do bebê, desde que seja uma sobrecarga por vários dias seguidos, mas lembrando que tudo é extremamente relativo para cada organismo, pois cada grávida tem suas peculiaridades.

E como manter-se calma com tanta notícia aterrorizadora rondando?

Respire conscientemente, faça respirações longas e profundas, não se esqueça de respirar sabendo que está respirando. Isso é muito simples, mas são exatamente estes gestos simples que são muito importantes para o nosso corpo e a nossa mente.

Beba bastante água durante o dia, pois é o melhor remédio que recebemos de presente do universo.

Coma comidas leves várias vezes ao dia, frutas, verduras, legumes e amêndoas, vale as do caroço da manga, da semente da abóbora e melancia, da semente da laranja etc. Estes alimentos possuem alto teor de proteína vegetal que é a fonte da formação de todos os sistemas do bebê.

Faça meditação ou oração várias vezes ao dia, agradeça pelas pequenas coisas boas que ocorrem no seu dia a dia: “Obrigada por eu ter conseguido subir esta escada, obrigada por eu ter água para beber, obrigada por eu ter alguém em quem confiar” etc. Torne o agradecimento como um hábito na sua vida e verá que a sua energia mental e emocional ficarão mais fortes porque não deixará brechas para os maus pensamentos e para a aflição.

Tente dormir cedo e, se possível, cochile, pelo menos 15 minutos depois do almoço. Tente conscientizar-se de que a vida que se forma em seu útero é responsabilidade direta e intransferível sua, o que você pensa, o que você sente, o que você fala, o que você come e o que você bebe. O pai, ajudando ou não, estando presente ou não, não poderá assumir a missão que somente você, que está gerando, deve assumir.

Não dê ouvidos a comentários negativos, responda sempre positivamente àqueles que queiram afetar seu ânimo. Lembre-se de que a cada instante que seu sistema de defesa está diretamente ligado à autoestima, esta deve ser mantida sempre elevada, sem deixar-se abater. Aconteça o que acontecer a sua volta, pense em momentos que a deixaram bem, que a fizeram sorrir, em paisagens ou músicas que causaram comoção em sua alma. Pense em flores, em seu animal de estimação antigo ou atual, no céu azul, em Deus, em um passeio gostoso, qualquer pensamento que a deixe mais tranquila e que a libere da tensão daquele momento ou de uma recordação desagradável.

Se exercitando, tentando reverter um acontecimento que não foi bom ocorrido durante o dia, para um agradecimento, estará ajudando a si e, principalmente, ao seu bebê. Para algumas pessoas é fácil e, para outras, é extremamente difícil porque vivenciam situações inimagináveis para a maioria que tem uma vida “normal”, com família composta de pai, mãe, companheiro, com condições econômicas razoáveis que possibilitam alimentar-se 3 vezes ao dia, que possuem uma cama em local adequado para dormir etc.

Quando mais conseguir seguir as orientações acima, mais estará protegida. Este será o maior repelente que poderá ter acesso e que está disponível para quem tem ou não condições econômicas, pois depende exclusivamente da sua vontade em querer colocar em prática. Ele evita a entrada de vírus, bactérias, fungos, parasitas etc em seu campo vibracional. Os repelentes químicos poderão ajudar, mas o mais certo, barato e infalível é você estar o menos vulnerável possível mental e emocionalmente.

Professora Eliete M M Fagundes